Classes conforme o peso e a idade


Bancos e cintos de veículos são projetados visando principalmente os adultos. Eles são projetados de forma a reter as partes mais resistentes do corpo: a pélvis e o tórax. No entanto, eles não protegem adequadamente as crianças porque as proporções de seu corpo são diferentes.

 

Os ossos dos quadris de uma criança muito nova são tão pequenos que um cinto normal não permaneceria na posição mais baixa sobre os quadris, como seria necessário. Nesse caso, ao invés do esforço ser absorvido pelo tórax e pélvis ele é absorvido pelo pescoço e abdome no caso da criança, podendo causar lesões irreversíveis.



Porisso, foram criadas "cadeirinhas" com cintos de segurança próprios de 5 pontos (vide figura à direita), para permitir o transporte de crianças em automóveis de uma forma adequada, durante todas as fases de seu crescimento.

 

Os dispositivos de retenção de crianças são construídos de forma a proporcionar conforto e segurança para as crianças, conforme a sua idade e peso. Há modelos que incluem recursos de regulagem, que possibilitam uma maior versatilidade de uso, de acordo com o crescimento da criança.

Alguns tipos de "cadeirinhas" possuem aberturas de passagem para os cintos na região do "encosto", que permitem regular a altura do cinto conforme a criança vai crescendo, como vemos nas figuras ao lado.
 

No entanto, essa operação nem sempre é simples, pois há modelos em que para se efetuar a regulagem de maneira correta, é preciso ajuda do manual de instalação, o qual jamais deve ser inutilizado após a compra da "cadeirinha".

 

A regulagem de altura do encosto, quando existente na "cadeirinha", também pode ser usada para adequar o seu tamanho, conforme o crescimento da criança (foto abaixo à esquerda). Alguns modelos de cadeirinhas possuem também uma regulagem de inclinação da concha, que permitem melhores condições de conforto para a criança, possibilitando inclusive que ela possa repousar durante a viagem (foto abaixo à direita).

 


Embora a Legislação Brasileira classifique os dispositivos de retenção de crianças por idade, a maneira mais correta de classificá-los é por peso e altura, uma vez que nem todas as crianças de uma determinada idade têm o mesmo biotipo (características antropométricas). Conforme os padrões internacionais de classificação, os dispositivos de retenção de crianças estão divididos nas seguintes classes:

classe 0, para bebês de 0 a 10 kg (até 9 meses)
classe 0+, para crianças até 13 kg (até 12 meses)
classe 1, para crianças de 11 a 18 kg (de 1 a 3 anos)
classe 2, para crianças de 15 a 25 kg (de 2,5 a 5 anos)
classe 3, para crianças de 22 a 36 kg, (de 4 a 7,5 anos)

 

 

 

 


bebê em assento da classe 0+ voltado para a parte de trás do veículo


 

 

criança em assento da classe 1 com mesinha por onde passa o cinto do veículo

 

 

 

 


criança em assento da classe 2 usando somente o cinto do veículo

 

criança em assento da classe 3 do tipo "booster" usando somente o cinto do veículo

 

 

 

Bebês de até um ano, entre 8 e 13 kg devem usar o assento tipo "conchinha". Nesse caso, o bebê deve ficar virado para o vidro traseiro do veículo.

Nessa idade, o bebê não tem força no pescoço para sustentar a cabeça e manter-se ereto, o que lhe possibilitaria ser transportado sentado numa "cadeirinha".


Assim, no caso do acidente, levar o bebê voltado para o sentido contrário ao da marcha do veículo evita o "efeito-chicote", pelo qual a cabecinha se deslocaria perigosamente para a frente, acompanhando o sentido de movimento do veículo e em seguida daria o "rebote", o que poderá propiciar até mesmo o rompimento da coluna.

Há modelos de "cadeirinhas" do grupo 0+ que possuem uma base onde a "concha" fica encaixada.

 

 

 

Na ilustração à esquerda, podemos ver como deve ser feita a passagem do cinto lateral de 3 pontos do veículo, para poder instalar esse modelo de dispositivo de retenção.

Na ilustração à direita,  podemos ver como fica a correta passagem do cinto do veículo para esse tipo de "cadeirinha", tanto a parte sub-abdominal como a parte diagonal.

 


A partir de 1 ano de idade, quando a criança já tem condições de permanecer estável sentada, pode-se usar o dispositivo de retenção denominado "cadeirinha", sendo que a partir desse estágio, a criança passa a usar a "cadeirinha" voltada para a frente do veículo, isto é, no sentido de marcha normal do veículo. Há vários modelos de cadeirinhas no mercado especializado, com braços laterais, porta-copos, cintos próprios, apoios laterais para a cabeça, e outros acessórios (veja ilustrações abaixo).

A partir dos 4 anos ou dos 22 kg, o recomendável é usar o assento elevatório, ou “Booster”, que permite ajustar melhor o cinto de segurança do carro. O "Booster" permite que o corpo da criança seja elevado cerca de cinco a doze centímetros mais alto.  

 

O Booster pode ou não ter encosto, como nos dois exemplos das figuras ao lado, porém, de qualquer forma, o objetivo é o mesmo, ou seja, elevar o corpo da criança a fim de permitir um melhor ajuste ao cinto do veículo.

Através da posição mais alta do assento se obtém um assentamento mais adequado do cadarço na região do ombro, afastando assim a borda do cadarço em relação ao pescoço, o que é muito importante em termos de segurança.

Para poder dispensar o dispositivo de retenção correspondente à sua idade, que neste caso se trata do Booster, a criança deverá ter altura suficiente para sentar-se normalmente, dobrando os joelhos na borda do assento do veículo, sem precisar escorregar para a frente.


De uma forma geral, crianças com estatura superior a 1,5 m podem usar normalmente os cintos de segurança existentes no veículo, embora a verificação da passagem do cinto do veículo junto ao pescoço seja sempre recomendável. Caso isso esteja ocorrendo, é conveniente continuar usando o assento elevatório até que a criança tenha altura suficiente para ficar livre do risco de ferimento do pescoço em contacto com a borda do cadarço do cinto. Isso corresponde geralmente à idade superior a dez anos, que é o limite mínimo da exigência da legislação brasileira. Se o veículo dispuser de regulador de altura nos cintos de segurança, eles devem ser usados para ajustar melhor o cinto, a fim de que a sua faixa diagonal passe o mais próximo possível do meio do ombro do ocupante, que é o local ideal de passagem do cinto.




 

volta ao MENU na página principal